Home

Programa
Inscritos
Relatoria

Relatoria - 1ª. Reunião de Coordenação da
Biblioteca Virtual em Saúde Brasil

Perguntas e respostas

Logo após o encerramento das apresentações, abriu-se um espaço para cometários, perguntas e sugestões. Confira:

Posicionamento das bibliotecas com a integração da BVS:
Uma operação muito mais cooperativa e participativa. A BVS transcende o funcionamento da biblioteca tradicional. É importante a descentralização das responsabilidades e o rompimento do imobilismo dos Centros Coordenadores. Por isso a insistência na criação do Comitê Consultivo que deve assegurar um universo diverso de fontes e o acesso democrático de participação na BVS e disseminação da informação.
Espera-se a criação de um Comitê Consultivo Brasileiro quando houver mais BVS temáticas em funcionamento.

Direitos autorais, especialmente dos textos completos:
A virtualidade mantém o conceito existente inalterado. A política de direitos autorais é de uso corrente. A BIREME tem como concepção entender a informação cientifica como domínio público, ou seja, deseja-se que a informação relevante seja de acesso livre para os profissionais de saúde e autoridades como pré-condição para o avanço da saúde. Isso não elimina o direito do autor.
O Open Acess sugere que no financiamento de uma pesquisa já esteja previsto o financiamento da divulgação dos resultados. Essa seria uma alternativa de sustentabilidade de revistas eletrônicas.

Parque tecnológico necessário a uma instituição que deseja atuar como BVS
Mais e mais a idéia é que o fluxo de informação seja independente de máquinas, sistemas operacionais ou softwares existentes. Por isso a BIREME adota o WebService que pode responder a perguntas de vários sistemas ou hardwares. Em um ano, a BVS deve ter uma camada antes da página de apresentação na qual o sistema conversa com sistemas pares ou ímpares.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) ou o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pensam em pontuar os autores que publicam eletronicamente?
A BIREME sempre defendeu que a qualidade de uma revista independe do meio em que é publicada. A Internet é um metameio. Quais são as vantagens da publicação eletrônica: rapidez da publicação, custo mais baixo e controles de uso e impacto. A BIREME está sugerindo às agências de financiamento que se pontue os autores presentes na SciELO e, futuramente, quem possuirá os melhores indicadores SciELO. Hoje uma revista sem versão eletrônica é considerada de segunda categoria.

Por que o curso de especialização em ciências da saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) não seleciona participantes diretamente das escolas de biblioteconomia do Brasil?
Este primeiro curso foi uma iniciativa piloto. A Biblioteca Central da Unifesp já está promovendo a divulgação do curso nas faculdades de biblioteconomia.

Por que o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) não adota metodologia SciELO para o banco de teses?
Sua base de teses vai funcionar como metadados (ou seja, as instituições terão os textos completos nas próprios bancos de dados e o IBICT receberia os metadados). Já há experiência com 30 teses. O IBICT também recebe exportação de teses no sistema SciELO.

Falha nas coleções dos periódicos
Revistas com mais de um ano de atraso serão cortadas da base de dados LILACS.

Existe previsão de upgrade da busca de dados LILACS?
Há um atraso de dois anos nesse projeto. Mas até o segundo semestre de 2003, haverá um ranking de hierarquização de respostas e similaridade. A idéia é incorporar outras características seguindo Pubmed. Mas ainda é preciso solucionar problemas de diversidade de idiomas.

Ineditismo de textos
Ainda há muitas discussões. A filosofia do Open Archives diz que todos têm direito de publicar tão logo escreva e o papel do periódico é editar e revisar esse artigo para publicação. A recomendação da BIREME é que se aceite artigos com base em teses publicadas e que elas passem pelo processo de revisão usual.

Tratamento de documentos especiais (vídeos, imagens)
O projeto permitirá que a metodologia LILACS inclua documentos diversos. Tão logo se solucione o problema entre LILACS e Lis, o próximo passo é avaliar o uso e tratamento de imagens e outros meios.



voltar